Tópicos | Twitter

A Netflix lançou, nesta sexta-feira (3), a parte final da quinta temporada do seriado La Casa de Papel e ao mesmo tempo em que animou os fãs, os deixou abalados, por marcar o fim do desenrolar do assalto ao Banco Central da Espanha.

A série chegou ao fim, mas a Netflix já anunciou um spin off focado no personagem Berlim e uma versão coreana do seriado, com o ator Park Hae-Soo, conhecido por interpretar o jogador 2018 em Round 6. Ambas as produções chegam apenas em 2023 na plataforma de streaming.

##RECOMENDA##

Nas redes sociais, após o lançamento, rapidamente La Casa de Papel chegou aos assuntos do momento com direito a memes e muito drama por ser a temporada final.

Confira:

[@#podcast#@]

 

O Twitter lançou nesta terça-feira (30) novas regras para impedir que os usuários compartilhem imagens privadas de outras pessoas sem seu consentimento, endurecendo as políticas da rede social um dia depois da troca de seu CEO.

Segundo as novas regras, os usuários que não são figuras públicas podem pedir ao Twitter que elimine fotos e vídeos com suas imagens publicados sem permissão.

##RECOMENDA##

O Twitter esclareceu que a medida não se aplica a "figuras públicas ou indivíduos quando as mídias e o texto do tweet que os acompanha forem compartilhados com interesse público ou acrescentarem valor ao discurso público".

"Sempre tentaremos avaliar o contexto do conteúdo compartilhado e, nesses casos, podemos permitir que as imagens e vídeos permaneçam no serviço", acrescentou a empresa.

O direito dos usuários de internet de recorrer às plataformas quando terceiros publicam imagens ou informações sobre eles, especialmente com fins maliciosos, tem sido debatido por anos.

O Twitter já proibiu a publicação de informações privadas, como números de telefone e endereços de uma pessoa, mas há "preocupações crescentes" sobre o uso de conteúdo para "assediar, intimidar e revelar as identidades", reconheceu a rede social.

Além disso, a empresa notou um "efeito desproporcional sobre mulheres, ativistas, dissidentes e integrantes de comunidades minoritárias".

Exemplos de assédio online muito conhecidos incluem vítimas de racismo, misoginia e homofobia no Twitch, a maior plataforma de streaming de jogos eletrônicos do mundo.

Contudo, os casos de assédio abundam e as vítimas, normalmente, precisam travar longas batalhas para que sejam eliminadas das plataformas virtuais imagens abusivas, ofensivas ou produzidas ilegalmente.

A mudança acontece um dia depois que o cofundador do Twitter, Jack Dorsey, anunciou que deixaria a empresa e entregou o cargo de diretor ao executivo Parag Agrawal.

A plataforma, assim como outras redes sociais, vem lutando contra o assédio, a desinformação e os conteúdos motivados pelo ódio.

O diretor-geral e co-fundador do Twitter, Jack Dorsey, deixará seu cargo de diretor-geral da rede social, segundo a rede de informações financeiras CNBC.

Desde seu retorno à frente da empresa em outubro de 2015, o empreendedor é frequentemente criticado por não ter deixado o comando de sua outra empresa, a especialista de pagamentos móveis Square, para se concentrar apenas no Twitter.

##RECOMENDA##

Milionário desde 2013 após a introdução do Twitter na bolsa, Jack Dorsey tem uma fortuna estimada em 11,8 bilhões de dólares pelo site da revista Forbes.

Sua primeira etapa à frente do Twitter como diretor-geral foi em 2007 e 2008, mas foi retirado do cargo pelo conselho de administração, insatisfeito com sua gestão.

O mercado reagiu favoravelmente à informação, não confirmada pela empresa, e o Twitter subiu um pouco após a abertura de Wall Street.

Harry Kane teve uma atitude louvável nesse domingo (28) com dois torcedores do Tottenham que viajaram de Dallas, no EUA, à Burnley, na Inglaterra, para assistir o confronto do clube pelo Campeonato Inglês, a Premier League. A partida acabou adiada de última hora por conta do mal tempo. Após desabafo do torcedor nas redes sociais, o atacante inglês os chamou para serem seus convidados VIP’s da próxima vez que forem a Londres.

No Twitter, um dos torcedores contou a saga que fez para chegar a Burnley e a surpresa por não haver a partida. “De Dallas para Londres, depois à Burnley, mais de 31 horas de viagem, sem dormir, abastecido de café, biscoitos de queijo e mais café. Enfrentando o tempo frio e a neve. As coisas que fazemos quando amamos nosso clube”, desabafou.

##RECOMENDA##

Lendo o relato dos fãs do Tottenham, a principal estrela da equipe Harry Kane se solidarizou e fez um convite para os dois torcedores. “Pelo seu compromisso e para compensar o cancelamento do jogo, gostaria de convidá-lo para um jogo no Hotspurs Stadium (estádio do Tottenham) como meu convidado, na próxima vez em que estiver em Londres”, escreveu o atacante, que recebeu o sinal positivo dos torcedores rapidamente.

[@#podcast#@]

A evolução da variante Ômicron do coronavírus entrou no radar do presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (Progressistas-AL). Em sua conta no Twitter, Lira escreveu há pouco que a Casa seguirá acompanhando os desdobramentos da nova cepa e poderá agir. "A Câmara estará pronta para responder em caso de novas ações de enfrentamento", afirmou o presidente da Câmara.

[@#video#@]

##RECOMENDA##

Em outra publicação, Lira destacou a articulação dos ministros Ciro Nogueira (Casa Civil), Marcelo Queiroga (Saúde), Tarcísio Freitas (Infraestrutura) e Anderson Torres (Justiça), "fechando nossas fronteiras em resposta à nova variante". "Decisão, agilidade e cuidado com o Brasil", disse, acrescentando que o Brasil é referência em vacinação contra Covid porque o País entendeu que "este é o único caminho".

O governo brasileiro anunciou ontem o fechamento das fronteiras aéreas para seis países da África: África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue. "A medida foi necessária para que a nova variante do coronavírus não cause grave impacto no Brasil", afirmou o Ministro da Saúde Marcelo Queiroga, em sua conta no Twitter.

A deputada estadual de São Paulo, Janaina Paschoal (PSL) afirmou por meio de sua conta do Twitter que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) "mais parece um presidente filiado ao Psol". 

"Bolsonaro tem sancionado umas leis que mais parece um presidente filiado ao Psol. O Psol está dominando o mundo", disse Paschoal, que foi uma das responsáveis pelo pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

##RECOMENDA##

[@#video#@]

Após uma intensa agenda no exterior, que incluiu o MET Gala 2021 e o Grammy Latino, a diva pop Anitta, de 28 anos, retornou ao Brasil para cumprir uma nova agenda no país. A carioca atualmente mora em Miami, cidade da Flórida, no sudeste dos Estados Unidos, para cuidar da carreira internacional.

Ao chegar neste domingo (21) no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, a cantora foi recebida por fãs e logo a internet reagiu à chegada da artista, que coincide com a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021. Em minutos a hashtag “Bem-vinda Anitta” ocupou os trends do Twitter e foi associada aos “Adiantados do Enem”.

##RECOMENDA##

Alguns fã clubes até prepararam fios na rede social, com dicas de como citar apropriadamente canções da cantora cujas letras podem ser utilizadas como breves exemplos em redações do Enem, abordando temas como a gravidez precoce, gêneros artísticos oriundos da periferia, autoimagem e empoderamento feminino, dentre outras pautas. Confira os tweets mais acessados de hoje:

[@#video#@]

Enem 2021

Neste domingo (21), serão realizadas as provas de Ciências Humanas, Linguagens e redação. Ao total, os candidatos terão 5h30 para responder às 90 questões aplicadas, além da produção textual. Já no próximo domingo (28), os feras responderão a outros 90 quesitos das provas de matemática e Ciências da Natureza em um tempo limite de cinco horas. Na redação, não é permitido utilizar memes, gírias ou piadas em nenhuma das etapas de desenvolvimento do texto.

Ao total, a primeira aplicação do Enem 2021 teve 3.389.907 inscrições confirmadas, sendo 3.321.016 para as provas impressas e 68.891 para as provas digitais.

Nos dias 9 e 16 de janeiro, o Enem 2021 terá sua segunda aplicação para os estudantes que se inscreveram após a reabertura das candidaturas, em setembro. Ao total 280.145 novos registros foram confirmados pelo Inep. Na mesma data, será aplicado o Enem para adultos privados de liberdade e jovens cumprindo medida socioeducativa que inclui privação de liberdade (Enem PPL).

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, usou suas redes sociais neste sábado (20) para criticar o Dia da Consciência Negra, chegando a dizer que a data devia ser modificada para comemorar na verdade o Dia da Consciência Humana. “Dia de todos os cidadãos de bem, de todas as cores”, declarou.

Em uma série de publicações em suas redes, Sérgio minimizou a luta negra em diversos aspectos pregando a data como “vitimização” e sugerindo a troca do nome de Zumbi dos Palmares de sua fundação para o do engenheiro André Rebouças para destacar outros valores. “Promoveria virtudes e valores construtivos, a união e a colaboração de pretos e brancos do Brasil”, publicou. 

##RECOMENDA##

Ele ainda afirmou em resposta a um internauta que o rebateu, que a esquerda apoia apenas três tipos de negros. “Bandido, militante e vitimista”, afirmou, pouco antes de compartilhar comentário de seguidor e declarar sua opinião sobre intolerância racial da parte dos próprios negros. “Negros são os mais intolerantes, invejosos e racistas com qualquer negro que se destaque e seja livre. Claro que há exceções, e não são uma raridade. Mas é o que minha experiência pessoal tem demonstrado à exaustão”, escreveu.

“Libertem-se! A escravidão ideológica, a submissão aos branquelos das redações e da academia, a vergonhosa vitimização e a interminável choradeira não são nosso destino, nem nossa vocação. Para vencer, precisamos de autoconfiança e valores, jamais de militância. Negros são livres”, concluiu.

A dois dias da realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a diretora de uma escola estadual do Rio de Janeiro, Hélida Lança, usou o Twitter para denunciar a mudança de dois aplicadores que constam na lista da instituição. Segundo ela, eles foram trocados por agentes da Polícia Federal.

Na publicação, divulgada nesta sexta-feira (19), Hélida relatou que uma pessoa, que não teve o nome divulgado, supostamente ligada à Fundação Cesgranrio, mandou uma mensagem informando a troca. "Hoje uma pessoa da Cesgranrio mandou mensagem, informando que é pra gente retirar dois aplicadores da lista, que entrarão dois policiais federais no lugar.Tá bom pra vocês?", escreveu.

##RECOMENDA##

A postagem foi atualizada pela diretora. No texto, ela expõe que foi pedido para que a denúncia fosse apagada, no entanto, ela não irá apagar. "Salvei todas as mensagens que recebi. Escutei muito bem o aviso inicial, mas agora estão dizendo que não será bem assim. Se a minha denúncia serviu pra mudarem o rumo das coisas, então viva!". Confira a publicação:

[@#video#@]

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quinta-feira, 18, a abertura de um inquérito para apurar se o deputado federal José Medeiros (Podemos-MT), vice-líder do governo Jair Bolsonaro na Câmara, cometeu crime de racismo em comentário no Twitter.

A decisão atendeu a um requerimento da Procuradoria-Geral da República (PGR), que acionou o tribunal pedindo autorização para instaurar a investigação. Moraes também determinou que o parlamentar seja ouvido dentro de dez dias e que a rede social seja notificada a manter registro da publicação.

##RECOMENDA##

O comentário do deputado foi feito em fevereiro, quando a classe política se movimentava para abrir a CPI da Covid. Na ocasião, uma usuária defendeu a instalação da comissão parlamentar e o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

"Mulamba… vai atrás de voto, na faixa não vai levar não", respondeu o deputado. O comentário causou reação dos próprios usuários, que acusaram o parlamentar de racismo e se mobilizaram pedindo que ele fosse denunciado pelo crime.

A PGR classificou a conduta do deputado como 'discriminatória e preconceituosa contra a comunidade negra'. O parecer enviado ao STF lembra que a expressão 'mulamba' remonta ao período da escravidão. "No cenário fático apresentado, verifica-se que a conduta praticada pelo deputado não estaria contida nos limites da liberdade de manifestação do pensamento, a qual não é revestida de caráter absoluto nem ilimitado", diz um trecho da manifestação enviada ao tribunal.

COM A PALAVRA, O DEPUTADO

A reportagem entrou em contato com a assessoria do deputado e ainda aguardava uma resposta até a publicação desta matéria. O espaço está aberto para manifestação.

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, afirmou nesta terça-feira (9), que concorda com a pena de chibatadas para os pichadores. Camargo repostou uma seguidora, que comentou uma publicação sua com a afirmação.

"Tem que fazer igual em Cingapura, da chibatadas em pichadores. Dar multa para quem joga lixo na rua, banir chicletes do país pra não jogarem mais no chão, assim por diante. Só assim, as pessoas aprendem porque se não for amor, tem que ser pela dor", disse Ester Sanches.

##RECOMENDA##

O presidente da Fundação Palmares concordou: "De acordo, minha amiga Ester Sanches. Chibatadas e multas, como em Cingapura, seria uma solução. Pichadores não são 'artistas', são vândalos e marginais. Agem incentivados pela esquerda, que tudo emporcalha e destrói".

Em 48h, cerca de 452 mil publicações do Twitter tiveram como tema a Proposta de Emenda à Constituição 23/21, conhecida como PEC dos Precatórios. A informação consta em mapeamento dos trending topics da rede social, feito pela Diretoria de Análises de Políticas Públicas (DAPP) da Fundação Getúlio Vargas. A maioria dos posts criticava a aprovação da PEC em primeiro turno pela Câmara.

O setor rastreou apenas publicações feitas entre 11h da quarta-feira (3) e 11h da sexta-feira (5). As tags “PEC do Calote” (#pecdocalote) e “PEC do Calote, Não” (#pecdocalotenao) lideraram os diversos tópicos do “Em Alta”, tendo acumulado 8.600 e 3.000 tuítes cada, respectivamente. Até o fim da manhã desta segunda-feira (8), cerca de 13 mil posts com o tema foram feitos.

##RECOMENDA##

[@#video#@]

[@#podcast#@]

O Twitter removeu nesta sexta-feira, 5, mais uma conta supostamente gerida pelo blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, fundador do antigo site Terça Livre. O usuário @allannoexilio vinha sendo usado como "reserva" após o blogueiro ser banido da plataforma por decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Apoiador declarado de pautas inconstitucionais, Santos é investigado em dois inquéritos no STF e teve pedido de prisão preventiva decretado por Moraes em outubro. Um deles apura ataques contra ministros da Corte e a disseminação de fake news. Outro investiga a existência de uma milícia digital que promoveria atos contra a democracia e reivindicações como intervenção militar.

##RECOMENDA##

O blogueiro é considerado foragido no Brasil desde que teve a ordem de prisão expedida. Na última quarta-feira, 3, seus advogados entraram com pedido de habeas corpus no STF contra a prisão preventiva.

Depois que o cerco judicial o fez ser banido das redes sociais e de encerrar as atividades do site Terça Livre, Allan dos Santos vem usando o aplicativo de mensagens Telegram e um novo site à base de assinaturas para publicar seus artigos.

Procurado, o Twitter optou por não responder aos questionamentos sobre a conta removida. Segundo comentam apoiadores e ex-seguidores, que repercutem na plataforma a suspensão, o usuário tinha mais de 400 mil seguidores e foi criado em 2018.

O agora ex-procurador Deltan Dallagnol, que foi uma peça importante na operação Lava Jato, anunciou nesta quinta-feira (4), que está de saída do Ministério Público Federal (MPF). O anúncio foi realizado por meio de um vídeo, divulgado em sua conta no Twitter.

"Essa decisão de sair do Ministério Público não foi fácil. Eu tenho muito orgulho do Ministério Público e do trabalho que ele faz pela sociedade brasileira em diferentes áreas. Contudo, os nossos instrumentos de trabalho para alcançar a justiça vêm sendo enfraquecidos, destruídos", declarou Dallagnol.

##RECOMENDA##

O procurador estava no MPF há 18 anos. Em seu pronunciamento, ele aponta que tem várias ideias para contribuir.

"Eu serei capaz de avaliar, refletir e olhar melhor sobre essas ideias depois de sair do Ministério Público", pontua.

Vaza Jato e saída da força-tarefa

Deltan também foi peça central do escândalo da Vaza Jato, quando mensagens trocadas entre ele e outros colegas da força tarefa, e até mesmo com Sergio Moro, vazaram e provaram que o ex-juiz orientava as ações do Ministério Público.

Em setembro de 2020, o Ministério Público Federal (MPF) confirmou a saída de Deltan Dallagnol, da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, no Paraná. Dallagnol era o coordenador do grupo. De acordo com a nota, o desembarque do posto aconteceu por questões de saúde familiar.

Confira o pronunciamento na íntegra:

[@#video#@]

Recentemente, o jogador de vôlei Maurício Souza gerou polêmica nas redes sociais ao postar a foto do beijo entre o filho bissexual do Superman e seu parceiro. O comentário de Maurício teve cunho homofóbico, o que levou a internet à loucura, e assim, não demorou muito para a notícia chegar aos ouvidos de seu clube, Minas Tênis Clube, que de imediato rescindiu o contrato e declarou não compactuar com ideias homofóbicos e preconceituosos. Não é a primeira vez que uma personalidade perde uma oportunidade profissional por conta de declarações ou posicionamentos polêmicos, seja no Brasil ou no mundo. Confira outros momentos que a mesma situação ocorreu:

Gabriela Pugliesi

##RECOMENDA##

A influenciadora digital Gabriela Pugliesi foi uma das personalidades que usou as redes sociais contra si própria. No início da pandemia de Covid-19, em maio de 2020, Gabriela foi responsável por promover uma festa em sua casa, justamente no momento em que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que seria necessário a quarentena e isolamento social. Após o acontecimento, diversas marcas como Evolution Coffe, Hope, LBA, Rappi e Mais Pura, decidiram encerrar o contrato com a influenciadora. De acordo com a Brunch, agência de influência digital, estima-se que Gabriela pode ter tido um prejuízo de até R$ 3 milhões com as quebras de contrato.

James Gunn

O cineasta James Gunn passou a ser reconhecido em Hollywood quando trouxe dois grandes filmes da Marvel: “Guardiões da Galáxia” (2014) e “Guardiões da Galáxia: Vol. 2” (2017). Entretanto, em 2018, os chamados “stalkers” foram ao perfil do diretor no Twitter e encontraram publicações feitas entre 2009 e 2013, em que James Gunn brincava com temas polêmicos como pedofilia e estupro. Com a repercussão das postagens, a Walt Disney tratou de demitir o diretor. Em comunicado oficial, o CEO da empresa revelou que o motivo se deu, justamente porque a Walt Disney não compactua com esses tipos de valores. Entretanto, pouco tempo depois o diretor foi recontratado.

Kevin Spacey

Um dos nomes mais famosos dessa geração é Kevin Spacey, que já esteve em grandes produções como “Seven: Os Sete Crimes Capitais” (1995) e “Beleza Americana” (1999). Porém, em 2017 o ator recebeu diversas acusações de assédio sexual por parte dos membros da equipe da série “House of Cards” (2013 – 2018). De imediato, o caso passou a ser repercutido nas redes sociais, o que fez o ator ser cancelado. Em resposta às atitudes de Spacey, a Netflix demitiu o ator, que não participou da última temporada da série. Somente esse ano Spacey retornou aos trabalhos, mas desta vez, em um projeto independente dirigido na Itália.

MC Biel

Em 2016 MC Biel foi umas das figuras mais comentadas nas redes sociais. O cantor na época tinha 21 anos, e durante uma entrevista com uma repórter do portal IG, chamou a jornalista de “gostosinha”, e afirmou que se tivesse relações sexuais com ele, a “quebraria no meio”. O caso foi levado à justiça, e de imediato, a gravadora Warner Music decidiu encerrar o contrato com o cantor. Se já não fosse suficiente, os “stalkers” de plantão foram procurar publicações antigas no perfil do Twitter do MC Biel e o cancelaram de vez. Entre 2011 e 2012 o cantor publicou declarações homofóbicas, sexistas, racistas e machistas.

Monark

Um dos programas de maior sucesso na atualidade no Brasil, é o Flow Podcast, e um dos integrantes do show, Bruno Aiub, conhecido popularmente como Monark, foi o responsável por desencadear o fim de um contrato com o IFood. Após a publicação de diversos tweets sobre liberdade de expressão, o apresentador chegou a questionar os usuários se ter uma opinião racista é crime. A repercussão do caso foi negativa para Monark, junto ao Flow. De acordo com o IFood, a decisão aconteceu porque a empresa assumiu um compromisso público em ser protagonista nas mudanças voltadas para as causas de diversidade e inclusão.

Gabi Brandt utilizou as redes sociais na noite do último sábado (30) para desabafar sobre a falta de privacidade que ela possui por ser uma figura pública - a influenciadora estava em um restaurante no Rio de Janeiro, chorando por estar longe do seu pai no aniversário dele, e pessoas estavam tentando filmar a cena.

"Eu estou sentada num restaurante chorando porque hoje é aniversário do meu pai e estou longe dele e tem gente filmando... Nessas horas dá vontade de ser chata. Aí depois ainda vai para Instagram de fofoca falar que não valeu a pena conhecer a pessoa, que a pessoa é chata, que não foi legal igual na internet. Ou pior: capaz de usar o vídeo pra falar que na verdade eu estava chorando por outro motivo. O bom senso fica com Deus", começou a esposa de Saulo Pôncio.

##RECOMENDA##

"Ainda estou tendo que ler que sou obrigada a achar normal já que estou em um restaurante! Desculpa, mas na minha opinião não acho legal filmar/tirar foto de alguém escondido, sem a pessoa saber. Eu, mesmo chorando, tirei foto com umas 4 pessoas, com a maior educação".

"Eu já tirei foto até na emergência do hospital quando me pediram. Não meço esforços pra ser carinhosa com quem me trata com educação. Mas filmar escondido num momento delicado? Não concordo", escreveu Gabi no Twitter.

 [@#video#@]

Dayane Mello, participante do reality show A Fazenda 13, tem sido alvo de comentários e piadas por outros integrantes do elenco do programa. É o que apontam internautas no Twitter. Eles estão comentando sobre os acontecimentos da festa da última sexta-feira (29). Fazendeiros como Dynho e Bil foram registrados pelas câmeras do programa imitando alguns modos de falar da empresária.

Neste sábado (30) a hashtag #DayMereceRespeito é um dos assuntos mais comentados do Brasil no Twitter. No Instagram, o perfil oficial de Dayane Mello publicou um vídeo mostrando alguns momentos em que outros fazendeiros faziam piadas e riam do seu sotaque e entonação.

##RECOMENDA##

[@#video#@]

“Para quem acompanha a Day há mais tempo, já tem ciência que ela tem uma insegurança muito grande com relação a forma de falar e se expressar. Nós inclusive levamos isso de uma forma mais leve e falamos de forma carinhosa sobre as pronúncias erradas, entonações e confusão das palavras. Porém, quando isso é levado para uma série de provocações e bullying coletivo, como os ocorridos na festa de ontem (29/10), sentimos a necessidade de vir aqui de uma forma mais séria para abordar o assunto’, diz a publicação.

Após viralizar uma notícia de que a cantora Zélia Duncan teria rabiscado uma bíblia, escrevendo "pode sapatão" e "pode viado", a artista usou as suas redes sociais para afirmar que está sendo vítima de fake news.

"Gente, que loucura, eu nunca rabisquei nenhuma bíblia. Um monte de gente repostou aquilo, que tava nas redes, mas vcs cismaram e fizeram uma fake comigo. Eu não faço pouco de nenhuma fé, vcs que usam Deus pra ameaçar os outros. Deus não é amor? Mas que coisa", disse.

##RECOMENDA##

Além disso, Duncan afirmou que irá processar as pessoas que estão compartilhando a notícia falsa. "Diante do que estão tentando fazer com mentiras e ameaças, usaremos a língua que essas pessoas conseguem entender. Serão acionados. Depois choram e clamam por direitos Humanos", pontua.

Entre as pessoas que compartilharam a fake news está o filho do presidente Jair Bolsonaro, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos).

[@#video#@]

Assim como o irmão mais velho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que abandonou a cadeira de deputado federal em Brasília para viajar com ministros à Dubai, ao invés de focar em seu mandato como vereador, Carlos Bolsonaro (Republicanos) insiste em usar as redes sociais para opinar sobre assuntos longe das suas atribuições e atacar opositores com textos confusos. Sem muitas publicações sobre o que vem fazendo na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, Carlos passeia em Roma com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Para o filho mais novo do presidente na política, a ida do pai à reunião dos países do G20 serviu como excursão à Itália. Carlos deixou o Rio e cruzou o Atlântico a caminho do encontro das principais economias mundiais neste fim de semana, quando debatem sobre os impactos da Covid-19, impostos e mudanças climáticas decorrentes do efeito estufa. 

##RECOMENDA##

Eleito em seu quarto mandato como legislador municipal, a recorrência de publicações sobre seu trabalho é bastante inferior no Twitter em comparação ao tempo que gasta para atacar concorrentes do presidente, como os pré-candidatos ventilados à 'terceira via' e o ex-presidente Lula (PT). 

Ele é apontado como o suposto líder do 'Gabinete do Ódio' – núcleo virtual de apoio às pautas do presidente instrumentalizado por robôs e disparos em massa – e usa o perfil como a principal ferramenta para se comunicar com o eleitorado. Seu passatempo nas redes também é opinar sobre costumes alheios e críticas à comunidade LGBTQIA+.

Trabalho para ajudar a cidade do Rio

Suas últimas posições defendidas na Câmara são contra o passaporte vacinal na cidade e uma proposta contra o uso de banheiros públicos por transexuais. O site da Casa informa que "não existe nenhuma informação para a solicitação na base de Discursos e Votações", nem na aba de “Leis da sua Autoria”.

O vereador integra as Frentes Parlamentares em defesa da Educação Física e da Saúde Mental. Suas proposições protocoladas neste ano são: 235 indicações, 5 ofícios, 1 Projeto de Resolução, 2 Projetos de Lei Complementar, 2 Projetos de Decreto Legislativo, 7 Requerimentos de Informação, 2 Projetos de Emenda à Lei Orgânica e 18 Projetos de Lei.

 

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), em mais um episódio de ataques aos opositores de Jair Bolsonaro (sem partido) no Twitter, publicou nessa terça-feira (26) uma montagem na qual faz uma comparação entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e à caricatura do que seria o diabo, para a religião cristã, junto ao símbolo do comunismo; ao lado de uma imagem comparando Jair Bolsonaro (sem partido) a Jesus Cristo, junto à bandeira do Brasil. Na legenda entre as fotos, a sugestão: “escolha o seu lado”.

[@#video#@]

##RECOMENDA##

Na plataforma, Zambelli recebeu críticas de eleitores da direita e da esquerda. A publicação se tornou piada em tempo real e muitos consideraram de mau gosto o uso da imagem de Cristo para falar de um “homem comum”, já outros disseram se tratar de “desespero”. A parlamentar está entre as 81 pessoas cujo indiciamento foi proposto pelo relatório final da CPI da Covid, sob acusação de incitação ao crime.

“O debate político no Brasil se transformou numa mistura de 5ª série B com grupo das tias do zap”, resumiu Antonio Tabet, do Porta dos Fundos.

“KKKKKKKKKKKKKK a pessoa pra acreditar que JESUS apoiaria o Bolso nunca abriu uma bíblia na vida”, respondeu um internauta.

Em continuidade à piada de que “a crise também é estética”, que faz referência aos layouts simples e geralmente grosseiros desse tipo de publicação, internautas sugeriram que a deputada contratasse novos designers.

“Carla, minha querida, esta imagem é brega demais! Precisa contratar designers melhores”, disse outro usuário do Twitter.

O escritor e professor Geovane Moraes criticou a associação entre Bolsonaro e o filho de Deus, à qual chamou de “afronta” e “escárnio”.

[@#podcast#@]

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando