Carreiras

| Empregos

A doceria Delikata anunciou, na noite dessa quinta-feira (13), que recebeu mais de 32 mil candidaturas para quatro vagas de emprego ofertadas para a loja da Iputinga, na Zona Oeste do Recife, que será inaugurada em julho, e para a unidade de Casa Forte, na Zona Norte da cidade. “Temos recebido muitas mensagens e comentários no Instagram, ligações, visitas em loja e muitas abordagens pessoais sobre as vagas de trabalho que abrimos para as lojas de Casa Forte e da Iputinga. Só de e-mails com candidaturas foram mais de 32 mil”, informou a empresa em seu perfil no Instagram.

Devido à alta demanda, a doceria informa que não tem condições de analisar os e-mails e que, a partir deste momento, irá buscar outras formas de recrutamento. “Provavelmente com alguma empresa especializada”, revelou a Delikata.

##RECOMENDA##

A seleção era composta, unicamente, por análise curricular e não exigia experiência. “Sentimos muito, gente. Em breve, avisamos como iremos dar continuidade ao processo”, lamentou, no post, a Delikata.

[@#video#@]

Nesta sexta-feira (14), as Agências do Trabalho de Pernambuco ofertarão 257 vagas para empregos efetivos, temporários e destinados a Pessoas com Deficiência (PcD). Dentre as oportunidades, há vagas para profissionais com níveis fundamental, médio e superior.

No Recife, existem duas vagas para a função de forneiro de padaria destinadas a profissionais com seis meses de experiência e ensino fundamental completo. O salário não foi informado.

##RECOMENDA##

Na capital pernambucana, ainda tem uma vaga para auxiliar contábil, com ensino médio completo e seis meses de experiência. A remuneração é de R$ 1.418.

Em Caruaru, Agreste do Estado, há sete vagas para agente de pátio, com seis meses de experiência na área. A oportunidade não exige nível escolar. O salário é de R$ 1.215,59.

Já em Palmares, município localizado na Mata Sul, há dez vagas para o cargo de armador de estrutura de concreto, com seis meses de experiência. A escolaridade também não é exigida e o salário não foi informado.

Os interessados em concorrer a todas as vagas ofertadas precisam ser cadastrados pelas Agências do Trabalho no aplicativo SINE Fácil e agendar, previamente, sua visita presencial em uma das Agências do Estado por meio do site da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação. Confira mais detalhes no quadro completo de vagas desta sexta-feira.

A Presidência da República sancionou a Lei 14.151, que garante regime de teletrabalho às trabalhadoras gestantes durante a pandemia de Covid-19. A norma foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (13).

O texto estabelece ainda que a substituição do trabalho presencial pelo remoto, para a trabalhadora gestante, deverá ocorrer sem redução de salário.

##RECOMENDA##

A lei é originada do PL 3.932/2020, de autoria da deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB-AC) e relatado no Senado pela senadora Nilda Gondim (MDB-PB). Durante a discussão da matéria no Senado, Nilda Gondim argumentou que o avanço da pandemia no país, com ampliação considerável do número de vítimas e de ocupação de UTIs hospitalares, levou à necessidade de se pensar em uma alternativa para reduzir os riscos à gestante e ao feto.

A senadora ressaltou que atualmente o maior risco laboral para o trabalhador é a contaminação por Covid-19, e o risco de complicações é ainda maior para as empregadas gestantes.

"A trabalhadora na referida condição, além de necessitar de cuidados especiais para a preservação de sua saúde, tem que adotar todas as medidas possíveis para a proteção da vida que carrega. Não pode, em um momento como o ora vivenciado no país, ficar exposta a esse terrível vírus, que pode ceifar a sua vida, a de seu filho, bem como arrasar o seu núcleo familiar", justificou Nilda.

*Da Agência Senado

A plataforma educacional GoKursos inicia, nesta terça-feira (11), uma série de encontros virtuais com especialistas em empregabilidade e carreiras, tudo de maneira gratuita. Batizada de “Pra Começo de Conversa”, a iniciativa estreia daqui a pouco, às 19h, em uma live no Instagram, com a participação da CEO da Avance, Amanda Maracajá.

A série tem o objetivo de compartilhar dicas valiosas direcionadas a quem sonha em conquistar o primeiro emprego, bem como serão reveladas dicas sobre como montar um “currículo vencedor”. Ainda será explanado o caminho ideal para os trabalhadores que miram transição de carreira.

##RECOMENDA##

Na live de hoje, Amanda Maracajá mostrará o “passo a passo para voltar ao mercado de trabalho”. Autoconhecimento, mindset, gerenciamento inteligente do tempo, networking e marketing pessoal para relocação e conquista de vagas de empresas estarão em pauta.

Já nesta quarta-feira (12), também às 19h, a consultora de carreiras Aline Nunes é a convidada da série. Na ocasião, ela explicará em detalhes “o que não pode faltar no seu novo currículo?”. Serão esclarecidos os principais questionamentos sobre o que é necessário mudar nos currículos e repassadas dicas acerca do que os selecionadores procuram em bons profissionais.

“Ao final de cada live, o GoKursos vai disponibilizar uma oportunidade única para quem quer aumentar as chances de sucesso no mercado de trabalho”, avisou a plataforma educacional.

Estão abertas as inscrições para a seleção que reúne 80 vagas de emprego para o Estado de São Paulo. As oportunidades são oferecidas pelo Itaú Unibanco, distribuídas entre os cargos de agente comercial, agente de negócios, caixa, bem como existem estágios direcionados a universitários dos cursos de administração, economia e ciências contábeis.

Os candidatos devem ter ensino superior completo, porém, segundo o Itaú, possuir pós-graduação é considerado um diferencial. Entre as cidades onde os selecionados poderão atuar estão São Paulo, Jundiaí, Jaú, Campinas, Arujá e São José dos Campos.

##RECOMENDA##

Os interessados devem se inscrever, gratuitamente, no site do processo seletivo, onde também é possível obter mais detalhes a respeito das vagas e das etapas da seleção. Os valores dos salários para os aprovados não foram revelados.

As Agências do Trabalho de Pernambuco ofertarão, nesta quarta-feira (12), 195 vagas de emprego para profissionais com níveis fundamental, médio e superior. As oportunidades são para empregos efetivos, temporários e destinados a Pessoas com Deficiência (PcD).

No Recife, há três vagas destinadas às pessoas com deficiência para o cargo de maqueiro hospitalar, com seis meses de experiência e ensino fundamental completo. O salário é no valor de R$ 1.320. Ainda na capital pernambucana, também existem cinco vagas para costureira de peças sob encomenda, com ensino fundamental completo e seis meses de experiência. A remuneração é de R$ 1.500.

##RECOMENDA##

Em Caruaru, Agreste do Estado, há duas oportunidades para ajudante de serralheiro, com ensino fundamental completo e seis meses de experiência na área. O salário é de R$ 1.169,23.

Já em Araripina, município do Sertão, existem duas vagas para o cargo de carpinteiro, com seis meses de experiência e ensino fundamental incompleto. O salário não foi informado.

Para concorrer a todas as vagas ofertadas, os candidatos precisam ser cadastrados pelas Agências do Trabalho no aplicativo SINE Fácil e agendar, previamente, sua visita presencial em uma das Agências do Estado por meio do site da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação. Saiba mais detalhes no quadro completo de vagas desta quarta-feira.

Estão abertas as inscrições para a seleção de estágio curricular não obrigatório na área de “Tradução e Interpretação em Libras”, que oferta seis bolsas por meio do Comitê de Inclusão e Acessibilidade (CIA) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). As candidaturas devem ser realizadas até a próxima segunda-feira (17), por meio da página do CIA.

 As bolsas ofertam uma remuneração mensal de R$ 787,98, além de auxílio-transporte no valor de R$ 10 ao dia. A carga semanal é de 20 horas. Aqueles que tenham interesse em concorrer às vagas precisarão, de acordo com a UFPB, estar regularmente matriculados no curso de licenciatura plena em Letras/Libras ou demais licenciaturas; ter cursado a disciplina de Tradução e Interpretação da Libras ou a disciplina de Libras ou semelhante com proficiência em Libras; não participar de outros programas acadêmicos remunerados da UFPB durante a vigência do contrato, exceto estudantes que recebam bolsa de permanência; manter o cadastro atualizado no Sigaa; e ter CRA igual ou maior que 7,00.

##RECOMENDA##

O processo seletivo é composto por duas etapas: entrevista virtual, por meio do Google Meet, de 24 a 26 de maio; e avaliação curricular. Os candidatos receberão os links de acesso às entrevistas em seus e-mails, 24 horas antes da data prevista, tendo o acesso autorizado somente 30 minutos antes do começo.

O resultado final está previsto para ser divulgado em 5 de junho. A seleção será realizada em ambiente totalmente virtual, para garantir a segurança de todos os envolvidos e obedecendo os protocolos de segurança sanitária, por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

A Agência do Trabalho divulgou, nesta segunda-feira (10), as vagas que serão ofertadas nesta terça-feira (11) no Recife e em outras 19 cidades do Estado de Pernambuco. Funcionando por agendamento antecipado on-line, o serviço ofertado inclui cadastramento do trabalhador ou alteração de dados, como endereço, escolaridade, pretensões e carta de encaminhamento.

Para ser encaminhado para uma vaga o candidato deve realizar o cadastro nas Agências do Trabalho pelo agendamento on-line. Entre as 20 cidades que estão ofertando vagas, Recife aparece em primeiro com 37 oportunidades para cargos que vão de chefe de cozinha a editor Web. Caruaru aparece em segundo com 15 vagas e Petrolina em terceiro com 9 oportunidades. Ambas com vagas para garçom, vendedores, auxiliar de limpeza, entre outros.

##RECOMENDA##

Entre as vagas, 14 são destinadas a pessoas com deficiência. Os salários variam de R$ 1.100,00 até R$ 4.500,00, a depender do cargo, para níveis de escolaridade de não exigido até superior completo. Confira a relação de vagas completa aqui.

A empresa 'Lojas Americanas' está com processo seletivo aberto para diversas unidades em todo o Brasil. A companhia divulgou, nesta sexta-feira (7), na sua página oficial no Instagramm o lançamento das oportunidades.

Por meio de um site de recrutamento é possível selecionar o estado e cidade para encontrar a vaga disponível. A rede de lojas de departamento também está com seleção aberta para o programa de trainee, na cidade do Rio de Janeiro.

##RECOMENDA##

As oportunidades abertas para contratação de acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) são para operador de loja. O requisito para concorrer à vaga é apresentar a conclusão do ensino médio.

Entre as atribuições descritas, os selecionados farão atendimento ao cliente, operação do caixa, precificação de produtos e organização do estoque. Além de prometer salário compatível com o do mercado, a empresa oferta auxílio refeição, plano de saúde e odontológico, seguro de vida, descontos em produtos das lojas físicas e on-line, entre outros.

Já o programa de trainee pede que os candidatos atuem nas áreas comercial e marketing, planejamento e distribuição, financeiro, gente e gestão, e tecnologia e inovação. Os requisitos para candidatura são ter concluído qualquer curso de graduação no ensino superior entre junho de 2019 e junho de 2021 e ter disponibilidade para trabalhar no Rio de Janeiro. O período de contratação é de 12 meses.

A partir dos efeitos da pandemia da Covid-19, o mercado de trabalho deixou de ser como antes. Os novos modelos de atuação tendem a ser cada vez mais consolidados nas empresas, e as relações trabalhistas correm o risco, segundo especialistas, de serem afetadas negativamente após o período pandêmico.

Os trabalhadores brasileiros enfrentam uma forte crise econômica oriunda da pandemia. Essa crise, inclusive, deixou 14,4 milhões de brasileiros desempregados no primeiro trimestre de 2021, como apontou a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). O alto índice de desemprego, para Juliana Inhasz, economista e professora no Instituto de Ensino e Pesquisa Insper, está relacionado com as desarticulações do mercado de trabalho.

##RECOMENDA##

"Muita gente perdeu o emprego e muitas empresas começaram a reduzir sua participação dentro da economia por conta das dificuldades de conseguir se manter neste momento, em que a demanda caiu muito. Além disso, hoje, o mercado de trabalho ficou muito competitivo porque há muitas pessoas qualificadas disponíveis”, comentou a especialista.

A professora explica, ao LeiaJá, que a grande quantidade de profissionais qualificados procurando novas oportunidades ocasiona uma concorrência ainda mais feroz e baque salarial. “O mercado de trabalho se tornou mais competitivo por conta desse número grande de pessoas que hoje estão disponíveis para trabalhar, o que naturalmente faz com que o valor desse trabalho caia. Então, temos aí muitas pessoas que topam trabalhar por salários inferiores, o que tem feito com que a renda caia e o poder de compra desse consumidor caia também”, alertou.

Diante desse cenário econômico e profissional, muitos trabalhadores questionam se correm o risco de enfrentar empregos precarizados e ter direitos trabalhistas afetados. Para André Morais, economista do Conselho Regional de Economia de Pernambuco (Corecon), essa crise, infelizmente, tende a precarizar cada vez mais o trabalho.

“A precarização do trabalho é real e já começou a acontecer antes mesmo da pandemia, com a retirada de vários direitos trabalhistas. Acredito que agora em diante tendem a se acentuar”, afirmou. Essa precarização, descendente da crise econômica, pode gerar, além da queda no salário, o aumento da jornada de trabalho, a diminuição drástica de férias e de contratos formais. Além disso, como aponta André Morais, pode haver um aumento de contrato de trabalho com carga horária reduzida. "A pejotização, uma forma de contratar um trabalhador sem os encargos e obrigações trabalhistas, deve continuar sendo tendência, e se o trabalhador não for muito organizado, terá muitos problemas lá na frente para ter qualidade de vida na aposentadoria", alertou.

Juliana Inhasz, especialista em economia do Insper, também confirma que os profissionais encontrarão no mercado de trabalho pós-pandemia empregos com baixa qualidade, salários abaixo do esperado e pouca segurança trabalhista, como 13º salário e férias. “Eles vão ter uma qualidade de emprego bem menor até, mais ou menos, o fim de 2022”, aponta.

Melícia Carvalho Mesel, procuradora do Ministério Público do Trabalho em Pernambuco (MPT-PE), comenta, em entrevista ao LeiaJá, que estão sendo realizadas ações para preservar os direitos trabalhistas. “Inicialmente, nós esperamos que esse risco não aconteça. Na verdade, se está tendo um cuidado muito grande para que os direitos trabalhistas, que são decorrentes de muita luta, lutas históricas, sejam preservados. Agora, na realidade, há uma dificuldade na fiscalização porque, outrora, a empresa poderia ser fiscalizada pelos auditores fiscais do trabalho, poderia ser inspecionada pelo próprio Ministério Público do Trabalho, e hoje, com o trabalhador estando em sua residência, dificulta um pouco esse aspecto fiscalizatório”, esclarece.

A procuradora afirma que com esse novo mercado de trabalho e seus desafios, a legislação não estava preparada. Mas ela reforça que, apesar disso, “sabemos que o direito acompanha os fatos e, por isso, pensamos em uma série de medidas, de mecanismos e também de criações e alterações legislativas para que possamos continuar tutelando esses direitos, fiscalizando o cumprimento deles, a fim de que não haja um retrocesso para o trabalhador.”

Melícia complementa: “Haverá, obviamente, um período que vamos ver toda essa mudança [no direito] acontecer, mas se espera também, concomitantemente, que vários mecanismos, várias medidas e normas surjam para não permitir que esse novo modelo, essa nova ordem de coisas, destrua ou impacte negativamente toda uma série de conquista que vemos aí no mundo do trabalho”, conclui.

Novo mercado de trabalho

É fato que a pandemia da Covid-19 transformou o mercado de trabalho. E, na visão do especialista em economia da Corecon, André Morais, o modelo de emprego híbrido “veio para ficar”. “É mais inteligente e menos oneroso para as empresas. O trabalhador que ainda não se adaptou a esse modelo vai precisar fazê-lo o quanto antes. Além disso, é preciso ter muita disciplina para adotar um modelo de trabalho home office ou híbrido”, disse.

Alguns empregos, para ele, não mudarão facilmente sua forma, já outros conseguirão se adaptar bem aos novos modelos de trabalho. Algumas funções, segundo o economista, tendem até a sumir.

“Um cargo de assistente administrativo, por exemplo, pode estar com os dias contados, já que muitas das suas funções foram automatizadas. Já as vagas de enfermagem e empregos em centros de distribuição logística tendem a aumentar expressivamente por causa da demanda”, exemplificou.

Do ponto de vista de Juliana Inhasz, a realidade trabalhista mudou. Tínhamos, segundo a professora do Insper, um mercado de trabalho com um modelo muito tradicional, e majoritariamente presencial, para uma estrutura de economia em desenvolvimento, e essas características começaram a mudar. “O mercado de trabalho passou, mais recentemente, por algumas transformações e vai continuar passando daqui para frente com a necessidade cada vez maior de que o profissional se modernize e se atualize. Além disso, as corporações precisam ter uma necessidade de incorporar tecnologias dentro do seu dia a dia para conseguir ter mais eficiência”, aconselhou.

Embora o plano de vacinação contra a Covid-19 ainda esteja caminhando a passos lentos, a professora acredita que a imunização em massa deve trazer um alívio ao mercado de trabalho, pressionado pelos milhões de desempregados, e melhores qualidades profissionais. “Se a gente conseguir acelerar o plano de imunização, conseguir fazer com que a população tenha uma maior segurança para sair às ruas e poder levar uma vida um pouco mais próxima do que a gente tinha antes da pandemia, certamente vamos ter uma dinâmica maior no mercado de trabalho”, comentou. Ela complementa: “Nós devemos ter mais gente sendo contratada, empregos de maior qualidade sendo ampliados, e, também, uma redução dessa situação de maior vulnerabilidade do trabalho que acontece neste momento de crise, como o aumento, por exemplo, do trabalho informal e intermitente”, finalizou a docente.

A doceria Delikata está com inscrições abertas para o preenchimento de quatro vagas de emprego direcionadas à nova loja da marca, situada no bairro da Iputinga, Zona Oeste do Recife, que será inaugurada em julho, e para a loja de Casa Forte, na Zona Norte da cidade. Para participar da seleção, os interessados devem encaminhar o currículo para o e-mail vagas@delikata.com.br com o nome do cargo no título.

De acordo com a empresa, a contratação para a loja de Casa Forte é imediata e o treinamento para loja da Iputinga começará em junho. Na loja da Iputinga, há uma vaga para auxiliar de cozinha, que irá fritar salgados, montar kits e combos e organizar o estoque e ambiente de produção, e duas para atendimento.

##RECOMENDA##

Já na loja de Casa Forte existe uma vaga para trabalhar no caixa. O processo seletivo será composto por análise curricular e ao serem admitidos, os profissionais trabalharão de segunda a sábado, das 10h50 às 19h10, tendo uma folga bônus por mês, e ganharão alguns benefícios como vale alimentação, vale transporte e, caso o trabalhador queira, a empresa irá cobrir 50% do seu plano de saúde. O salário não foi divulgado.

A doceria ressalta que “experiência não é requisito, mas precisamos ser honestos em dizer que pessoas que já trabalharam na área de alimentação e que moram próximo da loja de Casa Forte ou Iputinga terão preferência em caso de empate”. Mais detalhes podem ser obtidos por meio do envio de um e-mail para o endereço eletrônico da seleção.

O Ministério Público Federal em Pernambuco (MPF-PE) divulgou edital de seleção para estágio em direito. O processo busca contratar dois estagiários, sendo um para Recife e um para Caruaru, Agreste do Estado, além de formação de cadastro reserva.

Os interessados terão de 6 a 14 de maio para efetuar a inscrição, recebendo a confirmação do cadastro do dia 13 a 21 do mesmo mês, e todos os procedimentos avaliativos serão realizados de forma virtual. De acordo com o edital, os candidatos devem estar matriculados em uma das instituições de ensino superior vinculadas ao MPF, além de ter concluído o quantitativo mínimo de semestres, a depender do tempo total do curso, como está disposto no item I.

##RECOMENDA##

Além da inscrição, os candidatos serão submetidos a uma prova de conhecimentos específicos, na modalidade classificatória e eliminatória, que será realizada em ambiente virtual, no dia 31 de maio às 14h. A prova é composta por 20 questões de múltipla escolha e duas dissertativas.

Quem for selecionado receberá uma bolsa no valor de R$ 850, além de auxílio transporte de R$ 7 por dia de trabalho. A jornada proposta é de 20 horas semanais.

Estão sendo ofertadas 35 oportunidades de estágio pelo Instituto Euvaldo Lodi de Pernambuco (IEL-PE) em diversas áreas do conhecimento, nos níveis médio e superior. As vagas foram distribuídas entre diferentes regiões do Estado, sendo 16 na Região Metropolitana do Recife (RMR), 16 em Caruaru, no Agreste, e três em Petrolina, no Sertão.

De acordo com o IEL, são oferecidas bolsas de até R$ 1,1 mil. Os interessados podem se inscrever diretamente no site do instituto e as oportunidades disponíveis são para as áreas de administração, design gráfico, marketing, pedagogia, engenharia química e civil, bem como para técnico em refrigeração, mecânica e química.

##RECOMENDA##

As vagas não têm prazo para inscrição, estando abertas até serem totalmente preenchidas. Segundo Juliana Nogueira, gestora do IEL-PE, os candidatos devem observar o portal frequentemente. “Além de ficar antenado nas vagas, ele precisa saber também que os dados precisam ser, constantemente, atualizados em nosso site para que a convocação de seleção chegue até ao candidato e a contratação seja mais efetiva”, ela informa.

Companhia atuante no setor de alimentos, a BRF realiza processo seletivo com 28 vagas para estagiários em agropecuária. Universitários que estejam no último semestre do curso de agronomia, medicina veterinária e zootecnia podem participar da seleção, cujas inscrições devem ser feitas, de maneira gratuita, até o dia 23 deste mês.

No total, o estágio terá duração de seis meses, com atuação prevista para as cidades com unidades da BRF, tais como Buriti Alegre (GO), Concórdia (SC), Dourados (GO), Faxinal dos Guedes (SC), Lucas do Rio Verde (MG), Marau (RS), Nova Mutum (MT), Toledo (PR) e Uberlândia (MG). Por causa da Covid-19, todo o processo seletivo será virtual.

##RECOMENDA##

Avaliação de perfil comportamental, entrevistas com o setor de recursos humanos e painel com gestores da empresa estão entre as etapas da disputa. “Esse programa de estágio oferece uma jornada de desenvolvimento intensa visando preparar os selecionados para oportunidades na agropecuária. A BRF é reconhecida como uma grande escola do mundo agro e industrial. O estágio em agro vai acelerar o conhecimento prático e preparação desses novos profissionais”, comentou o head global de recrutamento da BRF, Roberto Shalabi, segundo a assessoria de imprensa da corporação.

De acordo com o cronograma do processo seletivo, a admissão dos selecionados será realizada em agosto deste ano. Outras informações podem ser obtidas por meio do site do programa de estágio.

Empresa protetora de dados, a inGaia está com inscrições abertas – até o preenchimento das vagas - para seleção que reúne 150 oportunidades de emprego. Comercial, design, negócios, marketing, recursos humanos e tecnologia da informação são as áreas em que os profissionais selecionados poderão desempenhar suas atividades.

Segundo a companhia, os contratados atuarão no regime home office, o que possibilita a contração de profissionais de todo o País. Por meio do site da inGaia, os interessados podem se inscrever para participar da seleção e filtrar os requisitos exigidos em cada cargo, entre outras informações.

##RECOMENDA##

Neste ano, 80 pessoas já foram contratadas pela empresa. A expectativa da corporação é que, até o fim de 2021, além das 150 vagas anunciadas, outras 100 oportunidades de emprego sejam oferecidas. Os salários não foram revelados.

Um levantamento realizado pelo Sebrae, com base no Caged do Ministério da Economia, apontou que micro e pequenas empresas (MPE) geraram mais postos de trabalho que as empresas de médio e grande porte (MGE). Segundo os dados, os postos gerados pela MPE correspondem a 57,9% (aproximadamente 107 mil vagas) enquanto as MGE geraram um pouco mais de 67 mil vagas. O resultado positivo foi registrado pelo nono mês consecutivo.

Carlos Melles, presidente do Sebrae, aponta a importância das micro e pequenas empresas para a retomada da economia brasileira: “Esse é o 9ª mês que as micro e pequenas empresas puxam a geração de empregos formais no Brasil. Não há dúvida que elas são o motor da nossa economia. Mesmo diante da sobrevida da pandemia, os resultados positivos sinalizam o quanto é importante a continuidade de medidas emergenciais que amparem o segmento”.

##RECOMENDA##

Quando comparado o primeiro semestre de 2021 com o de 2020, ambos em contexto epidemiológico, 2021 apresentou um cenário mais favorável. Mesmo com a diminuição de contratações, as MPE criaram, entre janeiro e março de 2020, quase 118 mil vagas, enquanto as MGE geraram 94 mil vagas e estavam demitindo mais que do que contratando. Sendo assim, as MPE tiveram um aumento de 398% de contrações no primeiro semestre de 2021.

O mês de março se mostrou positivo para todos os setores, com exceção, do segmento de agropecuária das grandes e médias empresas que  apresentou números negativos. Entre os setores liderados pelas MPE estão: Serviços com 38.884 novas vagas, Indústria da Transformação com 27.759 novas vagas e Construção Civil que gerou 18.386 novos empregos. O setor do comércio que, anteriormente em fevereiro de 2021, ocupava o segundo lugar no ranking, gerou 11.884 postos de trabalho.

O Amazonas foi o Estado que apresentou melhor recuperação. Após fechar janeiro e fevereiro com saldos negativos, em março, tornou-se o terceiro estado que mais contratou ofertando uma média de 12,17 novas oportunidades de trabalho a cada mil existentes. Na avaliação do primeiro semestre como todo, o destaque foi para os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Norte, que, inclusive, subiu no ranking de Estado que mais contrata, saindo da quarta posição para a segunda.

No acumulado do ano, aproximadamente 837 mil empregos criados no primeiro semestre, 587 mil (70,1%) foram gerados pelas micro e pequenas empresas, enquanto as de porte médio e grande criaram 190 mil vagas (22,7%). O levantamento constatou também que a cada novo posto de trabalho gerado por uma média e grande empresa, os micro e pequenos empreendimentos geram outros 3 novos postos de trabalho.

*Com informações da assessoria de imprensa

Um motorista de caminhão, funcionário de uma empresa de transporte, morreu devido à Covid-19. A Justiça do Trabalho de Minas Gerais, local onde ocorreu o fato, condenou a empresa a pagar uma indenização à família da vítima, alegando acidente de trabalho, pois entendeu que o profissional havia sido infectado enquanto estava no expediente.

O caso noticiado fez surgir uma série de questões sobre segurança do trabalho e os cuidados que devem ser tomados, principalmente durante a propação do novo coronavírus. A pandemia teve início em março de 2020, quando foram registrados os primeiros casos da doença no Brasil. Desde então, os números de infecções e óbitos por Covid-19 têm gerado grande impacto na população brasileira.

##RECOMENDA##

Mesmo com mais de um ano da crise sanitária no País, trabalhadores de diversos setores são diariamente expostos a riscos de infecção pelo vírus, pois são obrigados, em buscar do sustento familiar, a cumprir o regime de trabalho presencial. De acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que foi divulgada pela Federação Nacional das Empresas Prestadoras de Serviços de Limpeza e Conservação (Febrac), 10% dos afastamentos de trabalho por doença aconteceram devido à Covid-19 em 2020.

No Dia do Trabalhador, celebrado neste sábado (1º), o LeiaJá traz uma entrevista com o advogado e professor de direito Ariston Flávio Costa. O especialista explica como os funcionários devem se proteger judicialmente, caso a empresa determine que ele deva trabalhar no formato presencial.

Segundo Ariston, é preciso atentar ao que foi decidido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em relação à Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), modificando uma Medida Provisória (MP). A partir das discussões jurídicas, foi firmada uma tese sob o tema de número 932, com "repercussão geral conhecida".

O 'Tema nº 932' se refere à possibilidade de responsabilização objetiva do empregador por danos decorrentes de acidentes de trabalho, que está sendo analisado pelo Tribunal Superior do Trabalho desde agosto de 2020. Ou seja, se acontecer do trabalhador ser contaminado no trabalho, ou no trajeto, a empresa deve agir de forma responsável. Ainda em 2020, o Governo Federal publicou uma lei que permite o afastamento do local de trabalho em decorrência de quarentena ou outra medida de distanciamento, mediante a apresentação de sintomas por parte do empregado, e atendimento médico devido.

O professor explica as medidas que o empregador deve tomar para garantir a proteção da saúde do funcionário durante o expediente de trabalho. “É necessário estar atento à adoção da teoria da responsabilização objetiva, no caso, é inteiramente pertinente, pois advém do dever de assumir o risco por eventuais infortúnios sofridos pelo empregado ao submetê-lo ao trabalho durante a pandemia do novo coronavírus. Deve ser analisado se o trabalhador ficou suscetível à contaminação nas instalações sanitárias da empresa, nos meios utilizados para a execução do trabalho, se o empregador forneceu todos os meios necessários e adequados determinados pelas autoridades de saúde do País, como máscaras, ventilação, fornecimento de álcool em gel, aferição da temperatura, enfim, todas as medidas de higienização necessárias para evitar qualquer risco de contaminação”, exemplificou o advogado.

Ariston ainda reitera a questão da responsabilização da empresa, se referindo ao caso do motorista citado no início desta reportagem. “Em recente decisão datada de abril deste ano, o Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais, onde o motorista da empresa (caminhoneiro) veio a óbito por Covid-19, restou evidente a decisão do magistrado que entendeu que prova testemunhal revelou, ainda, que o caminhão poderia ser conduzido por terceiros, que assumiam, como manobristas, a direção nos pátios de carga e descarga. Situação que, segundo o juiz, aumenta o grau de exposição, sobretudo porque não consta nos autos demonstração de que as medidas profiláticas e de sanitização da cabine eram levadas a efeito todas as vezes que a alternância acontecia. Além disso, o magistrado reforçou que não foi apontada a quantidade fornecida do álcool em gel e de máscara, 'não sendo possível confirmar se era suficiente para uso diário e regular durante os trajetos percorridos'. Ele lembrou, ainda, que não foram apresentados comprovantes de participação da vítima e seus colegas em cursos lecionados periodicamente sobre as medidas de prevenção”, detalha Ariston.

Mesmo em caso de contaminação, o advogado alerta acerca dos primeiros passos que devem ser tomados pelo trabalhador, e quem mais, além da empresa, deve ser informado. “Antes de tudo, ao sindicato da sua categoria. É imprescindível a participação do ente coletivo no apoio ao trabalhador para a configuração do nexo causal. O ente sindical deve estar atento à publicação feita em 11 de dezembro de 2020, da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho que publicou a Nota Técnica SEI nº 56376/2020/ME, com regras para a análise do nexo causal entre a Covid-19 e o ambiente de trabalho. Além do mais, temos o Ministério Público do Trabalho (MPT)”, explicou o docente.

Reunião de provas

Segundo dados do MPT, até março de 2021, foram registradas mais de 40 mil denúncias relacionadas à infecção por Covid-19. Só no Estado de Pernambuco foram feitas 1.675 denúncias, desde o início da pandemia.

O MPT também comenta a nota técnica, que informa o que deve ser feito para garantir a proteção do empregado em caso de contaminação. “Conforme a Nota Técnica do Grupo de Trabalho Covid-19 nº 20/2020, do Ministério Público do Trabalho, o vírus é considerado um risco biológico a ser previsto no ambiente de trabalho, e, a despeito de ser pandêmica, não exclui a responsabilidade do empregador de controle e vigilância epidemiológica em seu quadro funcional para identificação de transmissores da doença e prevenção de contaminação nos locais de trabalho, mediante ações de busca ativa, rastreio, isolamento de casos e afastamento dos contatantes. A evidência de omissão patronal na adoção de protocolos de controle de risco nos locais de trabalho poderá se configurar pela inexistência de inclusão do risco biológico nos programas de prevenção ocupacional, como o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais e Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, a cargo dos profissionais habilitados que devam estabelecer as medidas mais amplas e complementares para eliminação ou diminuição do risco de contaminação, conforme diretrizes das normas regulamentadoras aplicáveis", destaca o Ministério.

O órgão continua: "A ausência de implementação dos protocolos sanitários e de medidas administrativas, a exemplo do afastamento de trabalhadores enquadrados em perfil de risco, o não fornecimento de equipamentos de proteção adequados, a ausência de cumprimento de medidas de engenharia e biossegurança do trabalho, a exemplo da omissão no controle da qualidade do ar, poderão ser elementos comprobatórios da responsabilidade patronal nos casos de adoecimento de seus empregados. Evidências fotográficas dos postos de trabalho, sem garantia de distanciamento recomendado entre os trabalhadores, aglomeração nos ambientes laborais, sem adoção de escalas de rodízios de jornada recomendadas em protocolos sanitários, por exemplo, serão também elementos de prova passíveis de produção pelo empregado”, explica o MPT.

A instituição ainda menciona como o trabalhador pode apontar falhas na segurança biológica da empresa às autoridades competentes. “O Ministério Público do Trabalho disponibiliza canal de denúncias. Outros órgãos de fiscalização poderão ser acionados, especialmente para adequação e segurança das condições de trabalho, como a Inspeção do Trabalho, a Vigilância Sanitária e os Centros de Referência em Saúde do Trabalhador”, reforça.

É fundamental, diante da necessidade de proteger os funcionários contra a contaminação da Covid-19, que as empresas tomem as medidas cabíveis. “É dever da empresa o fornecimento de um meio ambiente do trabalho adequado. Em tempos de pandemia, o trabalhador não pode ficar suscetível à contaminação nas instalações de trabalho. Todas as medidas de sanitização devem ser tomadas com base nas orientações dos órgãos de saúde. Cabe à empresa provar que tomou todos os cuidados na prevenção da doença e na proteção da saúde de seus trabalhadores, com a identificação dos eventuais riscos, adoção do regime de trabalho em home office, higienização, remanejamento de turnos, redimensionamento de refeitório, rodízio de trabalhadores, orientação e fiscalização sobre as medidas preventivas relacionadas à saúde e segurança e entrega de equipamentos de proteção individual (EPI’s)”, alerta o advogado Ariston Flávio.

O MPT também reafirma as informações, esclarecendo os deveres das empresas quanto à proteção dos funcionários. “O empregador deverá prever no Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e executar a busca ativa de casos, do rastreamento e diagnóstico precoce das infecções pelo novo coronavírus, afastando dos locais de trabalho trabalhadores com casos suspeitos e confirmados, e ainda seus contatantes, ainda que assintomáticos. Também afastar do local de trabalho aquele empregado que comunicar contato familiar com casos suspeitos ou confirmados. Promover testagem periódica para diagnóstico da Covid-19, sem ônus para os empregados. Implementar e manter atualizado o Programa de Manutenção, Operação e Controle da qualidade do ar em ambientes climatizados, garantido a renovação nesses ambientes, conforme exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Assegurar o distanciamento social, implementando o home office, nas atividades compatíveis, o disciplinamento de rodízios e flexibilização da jornada de trabalho, adoção de anteparos nos locais de trabalho que minimizem as situações de contato entre pessoas, o fornecimento de máscaras adequadas e locais para higienização frequente das mãos”, finaliza.

Cuidados pessoais

O médico infectologista Bruno Ishigami, mestrando em saúde pública pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e funcionário do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, sediado no Recife, indica a importância do uso das máscaras adequadas para conter a propagação do novo coronavírus no ambiente de trabalho. “Se tiver condições, preferencialmente, utilize máscara do tipo PFF2 ou N95. São máscaras que têm uma capacidade de proteção melhor. A gente está vendo cada vez mais notícias sobre a transmissão da Covid-19 por aerossóis, que são partículas um pouco menores que gotículas. A máscara de tecido não consegue evitar o vírus, consegue reduzir, obviamente, porque você está de máscara, mas o ideal para reduzir ao máximo a chance de transmissão por aerossol é o uso de máscaras do tipo N95 ou PFF2.

"Também é importante, dentro do ambiente de trabalho, garantir que o espaço seja bem ventilado, que assim, quanto mais ventilado o espaço, menos o vírus se concentra no ambiente, porque o ar vai circular mais vezes”, acrescenta o médico.

Ishigami reforça a necessidade do trabalho em conjunto com a Anvisa para garantir que as orientações sejam cumpridas. “Dentro das leis de segurança do trabalho, o correto seria que as empresas fornecessem essas máscaras de melhor qualidade. A grande questão é que a Anvisa não normatizou o uso de máscaras N95 e PFF2 para toda a população, e aí a gente não consegue cobrar junto ao Ministério do Trabalho”, afirma o infectologista.

Para José Neto, médico infectologista, atuante no Memorial São José e no Hospital Esperança, é importante atentar para o caminho que é feito de casa para o trabalho. “O trajeto de transporte público tem alto impacto na transmissão por conta das aglomerações em ambiente pouco ventilado. Cabe a quem organiza o sistema de transporte minimizar essa realidade para evitar pôr a população que depende desse serviço em risco. Além disso, a vacinação dos trabalhadores de transporte público também deveria ser prioridade”, ele alerta.

A Secretaria do Trabalho do Governo Federal divulgou orientações para que empresas e funcionários possam se guiar no combate à pandemia no ambiente de trabalho. Além de conter informações gerais, estão disponibilizados materiais específicos para cada área dos serviços considerados essenciais, como farmácias, frigoríficos, serviços de saúde, supermercados, entre outros. Entre as orientações gerais, há informações sobre os cuidados no ambiente de trabalho, com empregados que são parte do grupo de risco e testagem.

A empresa de tecnologia especializada em consultoria de TI Tata Consultancy Services (TCS) abriu inscrições para 500 vagas de emprego no setor de tecnologia, atendimento e administração. As oportunidades são direcionados aos estados de São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Paraná. Os selecionados trabalharão no modelo home office até o fim da pandemia de coronavírus (Covid-19). Interessados devem se cadastrar no ibegin.tcs.com/iBegin/jobs/.

De acordo com a empresa, as vagas buscam por profissionais em todos os níveis de experiência. Para o setor de tecnologia são exigidas competências nas linguagens de programação, como Cobol, Dotnet, Java e PHP. Para atendimentos, é necessário conhecimentos nos idiomas inglês e espanhol.

##RECOMENDA##

Também é prometido aos profissionais contratados plano de saúde e vale alimentação, como previsto na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A alta demanda pela busca de profissionais de TI é um dos reflexos causados pela pandemia, pois como indica um estudo realizado pelo site de empregos Catho, São Paulo registrou aumento de 671% nas vagas de tecnologia durante a crise sanitária.

Segundo os dados, a busca por cientistas de dados subiu 671%. Outras vagas também registraram aumento, entre elas desenvolvedor.NET com 517%, devOps com 460%, web developer com 97% e programador ADVPL com 60%.

Consultura de gestão e tecnologia, a Falconi promove processo seletivo de estágio exclusivo para pessoas negras, declaradas pardas ou pretas. Podem participar da seleção candidatos de qualquer área do conhecimento com previsão de formação no período que vai de junho de 2022 até julho de 2023, bem como é necessário que eles residam na região metropolitana de São Paulo.

Primeiramente, os selecionados farão trabalho remoto e, sem seguida, passarão para atividades híbridas em São Paulo. Entre as etapas da seletiva estão entrevista em vídeo, testes de lógica, exame de inglês e entrevista final.

##RECOMENDA##

A Falconi promete vários benefícios aos estagiários, tais como bolsa auxílio, incentivo ao estudo da língua inglesa, plano de saúde, vale refeição, vale transporte e convênio com academias.

A previsão de início das atividades é para julho deste ano. Para mais informações, confira o site do programa de estágio.

Até sexta-feira (30), o Nubank estará com inscrições abertas para o Associate Product Managers (APM), programa da área de produtos digitais do banco. Na modalidade treinee, a oportunidade terá duração de 12 meses. A capacitação é voltada para profissionais em início de carreira ou que estão em fase de transição, com graduação em curso ou incompleta em qualquer área. O cadastro é feito no boards.greenhouse.io/nubank.

Os critérios para vaga são disponibilidade para trabalhar em tempo integral, conhecimento básico em inglês, ou interesse em aprimorar o idioma para estar em ambientes que o usem, e disposição para mudar da capital paulista, após a pandemia de Covid-19. As etapas do processo seletivo acontecem 100% online em maio.

##RECOMENDA##

O programa tem projeção para contratar entre seis e dez pessoas para início da formação em junho. Aqueles que conquistarem a vaga terão direito a plano de saúde, programa de aprendizado de línguas, participação acionária no Nubank, licenças maternidades e paternidades estendidas e programa de apoio à saúde mental e bem-estar.

O treinamento será via ambiente virtual até janeiro de 2022. As datas de retorno presencial serão de acordo com o avanço da pandemia e a vacinação. O Nubank se responsabilizará pelos custos de transporte e mudança daqueles que moram fora de São Paulo e forem efetivadas pela empresa.

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando